Bom dia, seja bem vindo(a) Visitante | faça o seu Login ou Cadastre-se Grátis
O Portal Consultores é focado no apoio técnico e metodológico, treinamento, interatividade, informações, ferramentas e serviços para profissionais independentes, consultores, coaches e palestrantes, constituindo desde 1990, a maior comunidade mundial destes profissionais em países de idioma português, com 65.119 participantes neste momento.
Especialidade para pesquisa
no Portal
Faça parte da comunidade
Consultores
     
 
Artigo
 
A Praga dos Juros
21/11/2016 - por Tom Coelho

"A política de juros altos é tanto mais eficaz quanto maior o dano que puder causar."
(Fernando Cardim de Carvalho)

Banco Central, Copom, Selic. Ainda que você não queira, estes atores do cenário econômico nacional têm visitado seu jornal, sua TV e sua paciência ao longo dos últimos meses.

Longe da pretensão de querer analisar o significado de cada um destes agentes, e de tantos outros protagonistas igualmente relevantes, pretendo ao final deste artigo apenas apontar como tudo isso afeta diretamente você e seu bolso.

Reflexos sobre o País

O Brasil apresenta hoje uma das mais elevadas taxa de juros reais do mundo. Juro real é uma medida da taxa de juros básica da Economia, em nosso país representada pela taxa Selic, descontada a expectativa de inflação.

Nosso Banco Central, que paradoxalmente a tudo o que tem feito clama por independência e autonomia, entende que a inflação é um monstro adormecido, de sono leve, que habita nosso cotidiano sob o risco iminente de despertar a qualquer momento. Parece crer piamente que crescimento econômico, no Brasil, traz inflação em seu bojo. Por isso, sob a égide das questionáveis "metas inflacionárias", impõe taxas de juros elevadas objetivando conter a demanda agregada, ou seja, fazer com que os consumidores deixem de comprar. Assim, qual será o comerciante que elevará seus preços, gerando inflação, se já nos patamares atuais ninguém compra?

Juros altos, demanda retraída, produção contida. Desemprego como efeito colateral. Onde buscar mesmo aqueles 10 milhões de empregos da campanha eleitoral?

Mas o problema não cessa aí. Mais da metade da dívida pública do governo federal é indexada exatamente à taxa Selic. Taxa alta, gastos de mais com juros, investimentos de menos em escolas, hospitais, habitação, segurança e infra-estrutura. É um Estado predestinado a gerar superávits primários e nada mais.

Como se não bastassem, juros reais elevados atraem investidores. Não aqueles dispostos a construir fábricas e gerar empregos, mas aqueles interessados em realizar ganhos rápidos nos mercados de capitais. São os famigerados especuladores que trazem consigo um capital tão volátil quanto éter, capaz de irem embora na mesma velocidade com que entram, num mero clique, via Internet. Afetam nossa taxa de câmbio, através de seus fluxos, impactando nossa balança comercial e, por conseguinte, nosso balanço de pagamentos. É por isso que nossas reservas internacionais são tão baixas e nossa credibilidade tão insólita.

A praga dos juros altos mata o país!

Reflexos sobre as Empresas

As empresas de pequeno e médio porte, aquelas que efetivamente geram empregos, sabem tão pouco sobre a taxa Selic quanto você. Pagam juros que variam entre 30% e 70% ao ano, nos bancos, chegando a mais de 180% ao ano junto às factorings. Além disso, arcam com uma das cargas tributárias mais distorcidas do mundo capitalista, pagando impostos antecipados sobre seu faturamento.

E por qual motivo o dinheiro lhes custa tão caro se a tal Selic, já tão elevada, está fixada em 17,25% ao ano? Porque existe uma praga maior chamada "spread bancário", ou seja, o prêmio cobrado pelo credor para remunerar seus custos, pagar impostos e ter lucro. O próprio relatório do Banco Central do Brasil (www.bcb.gov.br) demonstra que a composição do spread bancário contempla ganhos da ordem de 40% entre despesas administrativas e lucro do agente financeiro. Um negócio e tanto, capaz de deixar até o narcotráfico entusiasmado...

É por isso que os bancos têm apresentado lucros tão expressivos em seus balanços. É por isso que os empresários são insanos e deveriam ser internados um a um. Trabalham para alimentar o sistema financeiro e a ganância arrecadatária do Estado. É a transferência de riqueza de quem produz para quem apenas gerencia números. Isto explica, em parte, a vergonhosa distribuição de renda em nosso país.

A praga dos juros altos mata as empresas!

Reflexos sobre as Pessoas

As estatísticas demonstram claramente a queda do salário real. Isto significa que seu salário hoje, descontada a inflação, tem menor poder de compra do que anos atrás. Grande novidade! Você percebe e sente isso em seu dia-a-dia. Tomando café, indo ao supermercado, usando ônibus, pagando pedágio.

Como você ganha pouco, recorre a uma coisa chamada crédito que, no Brasil, atende às pessoas físicas pelos nomes de cheque especial e cartão de crédito.

Por compulsão ou necessidade, você utiliza o crédito que lhe é disponibilizado. Paga taxas de juros de até 435% ao ano, sem perceber, até ficar inadimplente. Então, surgem outras figuras onipotentes. Os serviços de "proteção ao crédito" como SPC e Serasa que, com seu poder discricionário, negativam seu nome em todo o país, tornando você persona non grata. Tiram-lhe o crédito, a moral e a tranquilidade.

Desempregado, sem crédito, sem dinheiro e com o nome comprometido, você um dia sai em busca de um emprego digno e dignamente recebe um não!

A praga dos juros altos mata você!

 
Para acessar o CV do autor, clicar em seu nome no início deste artigo.
Para contatá-lo, clique aqui.
 
Artigos publicados deste autor(a)
 
Aplicando 5S na vida pessoal
 
Voo 3840
 
Marketing pessoal - construindo a sua marca
 
Gênese da corrupção
 
Aplicando 5S nos escritórios de advocacia
 
Síndrome de Deus
 
O país da corrupção
 
Sete vidas - a arte de conciliar vida pessoal e profissional
 
Gestão com empatia
 
Excelência no atendimento
 
A arte de empreender
 
Stop and go
 
Quinze anos
 
Paternalismo Corporativo
 
Regras de ouro para administrar o tempo e viver melhor
 
Passos de Bebê
 
Tempo de escolher
 
Sobre heróis e mitos
 
A força da vocação
 
Resiliência
 
Para ler após o Reveillon... Aplicando 5S na Vida Pessoal
 
O Pior dos Pecados
 
O peso do QI na recolocação profissional
 
O Poder da Exaltação
 
O que os compradores querem
 
O mundo dos contratos
 
Na ponta dos dedos
 
O Coração da Empresa
 
Miopia e astigmatismo corporativos
 
O clichê, o básico e o simples
 
O Desejado Pergaminho
 
Na Arena
 
O Engraxate
 
O mal da mediocridade
 
O Brasil público que dá certo
 
Recordar é viver
 
Conheça sua base motivacional
 
Empreender é preciso
 
Metamorfose Ambulante
 
Liderança e Poder
 
Maratona da Vida
 
Fisiologia do Medo
 
Estabilidade ou Promiscuidade na Carreira?
 
Intraempreendedorismo: Desenvolvendo a cultura de dono
 
Facespam, chatwitter e a relevência na internet
 
Ensinando a Ousar
 
Gente do Bem
 
Ingredientes para o Sucesso
 
Jogando Xadrez
 
Exemplos e Opiniões
 
Especial é seu Bolso, não o Cheque!
 
Ensaio sobre a Lágrima
 
Educação Sem Futuro
 
Da Garagem ao Sucesso
 
Diários de Guerra
 
Compre Soluções e não Problemas
 
Como se fosse a primeira vez
 
Compradores Seriais
 
Cultura do Curto Prazo
 
Crise de Identidade
 
Desemprego Zero
 
Diferenciação
 
Diálogos Externos e Internos
 
Analfabetismo Funcional
 
Bandeiras da Intolerância
 
Apesar de Vocês
 
Além dos Números
 
Iniciativa, hesitação e acabativa
 
Atitude
 
Metas, Realizações e Resultados
 
Guerras e Guerras
 
Ponto de vista
 
Mudança e tolerância
 
Faltam heróis
 
Cuide de sua vida
 
Coragem para mudar
 
Ser e Estar
 
Celebre sua Vida
 
Tempo Perdido
 
Anatomia do Amor
 
O Caminho do Meio
 
Fracasso e Sucesso
 
Sonhos e Metas
 
A Visão do Futuro
 
Crise de Liderança
 
Brasil Doente
 
Finanças Pessoais em Equilíbrio
 
Uma nova vida em dois anos
 
Um sentido para a vida
 
Você não é pago para isso!
 
Cinco passos para uma meta
 
O Sabor do Saber
 
Geração sem-sem
 
O filho e o pai
 
A Volta da Inflação
 
Faltam liderança e pauta aos manifestantes
 
Cliente, este intruso
 
A chave da boa educação
 
A era da integração
 
Au revoir Carnaval!
 
A vida sem celular
 
A hora do sprint
 
Serviço civil obrigatório
 
O fim do pão e circo
 
As três faces do respeito em vendas
 
Agenda de 10 Segundos
 
Lei muda
 
Copa e Olimpíada - Lições de planejamento e Ética
 
A Hora de Parar
 
Latitudes do Silêncio
 
Efeito Placebo
 
Dilemas Eleitorais
 
A face oculta dos planos de saúde
 
A dor da despedida
 
Basta de Informação!
 
República Parlamentarista do Brasil
 
Poeira no vento
 
O sexto homem
 
Liderança Questionada
 
A arte da chutometria
 
Água na Cabeça
 
Marketing de Percepção
 
37 não é febre
 
Leite e Pinga
 
Chega de angústia
 
A ética do resultado
 
A Ética e a compra de seguidores nas redes sociais
 
Começando pelo quintal
 
   
     
  Busca por especialidade  
 
 
     
 
       
  Busca por autor  
 
Para listar todos os autores, clique em "buscar" sem preencher nada.
 
   
       
 
 
Dúvidas
Caso tenha alguma dúvida ou gostaria de obter maiores informações, basta utilizar um dos canais disponíveis abaixo:

 
 
 
 
     
   
     
       
 
Dino Mocsányi
Mudanças & Transições
 
Casemiro de Oliveira Rosa
Estratégia
 
Daniel De Stefano Menin
Marketing / Publicidade
 
Marcos Wunderlich
Coaching / Mentoring
 
Tom Coelho
Gestão de Pessoas - RH
 
Bernardo Leite Moreira
Comportamento
 
Gilberto Guimarães
Liderança Positiva
 
José Antonio Purcino
Jornalismo / Comunicação
 
Richard Doern
Empresas Familiares
 
Jusivaldo Almeida dos Santos
Finanças Pessoais
 
Marcelo Miyashita
Marketing / Publicidade
 
André Luiz de Freitas
Gestão de Pessoas - RH
Mentores do Portal

O conteúdo e retaguarda técnica
são validados pelo melhores
especialistas do mercado
em cada área.
     
Entre em contato conosco:
developed by MDF Tecnologia
 
  ©1996/2017 - Mocsányi Assessoria Ltda. | Todos os direitos reservados.

Endereço

Rua Tiradentes, 167 -
Parque Vila Rica - Santana de Parnaíba / São Paulo
06503-187
Tel.: / (11) 94755-9832

Horario de Atendimento
De segunda a sexta, das 08h00 às 18h00.