Bom dia, seja bem vindo(a) Visitante | faça o seu Login ou Cadastre-se Grátis
O Portal Consultores é focado no apoio técnico e metodológico, treinamento, interatividade, informações, ferramentas e serviços para profissionais independentes, consultores, coaches e palestrantes, constituindo desde 1990, a maior comunidade mundial destes profissionais em países de idioma português, com 65.119 participantes neste momento.
Especialidade para pesquisa
no Portal
Faça parte da comunidade
Consultores
     
 
Artigo
 
Quinze anos
16/02/2017 - por Tom Coelho

“Há vários motivos para não se amar uma pessoa.
E um só para amá-la.”
(Carlos Drummond de Andrade)
 
Há uma queixa recorrente e consensual entre as mulheres. Atualmente, está se tornando uma missão quase impossível encontrar um homem que reúna características como cavalheirismo, inteligência e intelectualidade aos atributos de um autêntico Don Juan, tais como masculinidade, sensualidade e beleza física. Tudo o que elas querem é alguém capaz de tirar-lhes o fôlego, surpreendê-las, fazê-las perder a racionalidade, mas que depois as traga de volta ao plano terreno, à objetividade e pragmatismo necessários, sem deixar esvair o encantamento.
 
Há também um consenso entre os homens. Nos dias de hoje, há mulheres para se “curtir” e mulheres para se namorar – e raramente são as mesmas. A expressão usual assemelha-se a: “Uma garota como essa não se encontra por aí... Cuide bem dela, mantenha este relacionamento. Enquanto isso, aproveite para se divertir com as mulheres erradas”.
 
Entre um universo e outro, o que os une é a solidão. Mulheres de um lado, homens de outro, compartilhando a vida com amigas e amigos, à espera de serem “tirados para dançar”. Parece que a sociedade moderna nos robotizou, tornou-nos tão mecânicos que perdemos a capacidade de nos apaixonar. E, mais ainda, de amar. Construímos um muro em nosso redor com tijolos de intolerância. Ficamos tão seletivos que terminamos sós.
 
Amar é olhar para outra pessoa e, mais do que admirá-la, contemplá-la, observando seus traços, feições e movimentos desejando jamais perder este encantamento nem por um milésimo de segundo, negando-se até mesmo a piscar. É ver a imagem da pessoa amada refletida em outdoors, estampada no rosto de personagens da televisão. É ter uma música em comum que marca uma ocasião especial ou que se tornou importante por representar memórias de um momento. Lembro-me de Mário Quintana: “Amar é mudar a alma de casa”.
 
Amar é dialogar, o que significa falar, mas também saber ouvir. Ter a sensibilidade para perceber quando o outro precisa apenas dizer tudo e de todas as formas, muitas vezes sem a preocupação de que você esteja ouvindo. Basta sua presença. Olhos que sinalizam atenção, silêncio que pronuncia respeito. Acolhimento, conforto, generosidade. Dar como alimento o carinho.
 
Amar é descoberta. É desvendar sem pressa o passado de quem se gosta, não pela neurose de uma investigação, mas pelo prazer de apreciar aquela história, como quem ouve um pequeno conto infantil ditado pelos pais ao lado da cama.
 
Amar é tolerância, é concessão. Não significa mudar nem exigir que se mude, mas estar disposto a se adaptar e esperar reciprocidade nessa atitude. Ajustar expectativas, alinhar propósitos. É caminhar lado a lado, olhando unidos na mesma direção, ainda que com visão periférica apurada. Maiakovski pontuou com precisão : “Amar não é aceitar tudo. Aliás, onde tudo é aceito, desconfio que haja falta de amor”.
 
Amar é transparência, é dizer o que se pensa, sabendo a hora de falar. É não praticar a omissão, achando ser possível empurrar conflitos para debaixo do tapete até que um dia o vento espalhe tudo, maculando o que foi construído. Transparência que gera credibilidade, que leva à confidencialidade, que conduz à lealdade. A lealdade que surge não como um dever, mas como resultado da satisfação do exercício da plenitude, de sentir-se completo.
 
Amar é tocar. É beijo que acelera o pulso. Sexo com longas preliminares e aconchego posterior. Dormir abraçado, acordar junto. Filme com pipoca, chuva romântica do lado de fora. Cuidar e ser cuidado. Promessas insanas de juras eternas; a eternidade que se perde em um instante. É dividir a liberdade.
 
Amar é superar adversidades, enfrentar o desafio da geografia que, às vezes, distancia fisicamente dois corações. É sentir a saudade como fruto da partida.
 
Amar é intensidade, é compreender a impermanência do tempo, sua relatividade. Significa rasgar os estúpidos calendários, quebrar os imponentes relógios e compreender que o tempo tem outra dimensão. É preferível um amor intenso de 48 horas a uma vida insípida compartilhada por uma década.
 
Amar é se mostrar um grande espelho e permitir que o outro possa mirar-se em você. Ver a si próprio enxergando aquilo que é mais virtuoso, mais nobre. É perceber de maneira perfeita uma pessoa imperfeita. É buscar o equilíbrio, tomar cuidado com a ansiedade, a angústia, a incompreensão e as cobranças. É ter a coragem de também sofrer.
 
Amar é tudo isso e um pouco mais. Ação que não se descreve, mas que se pratica. Coisas que sabíamos fazer quando adolescentes, aos 15 anos, quando éramos mais intrépidos, menos racionais e, por isso, capazes de sermos mais felizes.

 
Para acessar o CV do autor, clicar em seu nome no início deste artigo.
Para contatá-lo, clique aqui.
 
Artigos publicados deste autor(a)
 
Aplicando 5S na vida pessoal
 
Voo 3840
 
Marketing pessoal - construindo a sua marca
 
Gênese da corrupção
 
Aplicando 5S nos escritórios de advocacia
 
Síndrome de Deus
 
Sete vidas - a arte de conciliar vida pessoal e profissional
 
O país da corrupção
 
Gestão com empatia
 
Excelência no atendimento
 
A arte de empreender
 
Tempo de escolher
 
Stop and go
 
Regras de ouro para administrar o tempo e viver melhor
 
Passos de Bebê
 
Paternalismo Corporativo
 
Sobre heróis e mitos
 
A força da vocação
 
Resiliência
 
Para ler após o Reveillon... Aplicando 5S na Vida Pessoal
 
O peso do QI na recolocação profissional
 
O Pior dos Pecados
 
O que os compradores querem
 
O Poder da Exaltação
 
Miopia e astigmatismo corporativos
 
O mundo dos contratos
 
O Desejado Pergaminho
 
Na Arena
 
O Coração da Empresa
 
Na ponta dos dedos
 
O mal da mediocridade
 
O Brasil público que dá certo
 
O Engraxate
 
O clichê, o básico e o simples
 
Recordar é viver
 
Conheça sua base motivacional
 
Empreender é preciso
 
Liderança e Poder
 
Metamorfose Ambulante
 
Maratona da Vida
 
Gente do Bem
 
Ensinando a Ousar
 
Fisiologia do Medo
 
Intraempreendedorismo: Desenvolvendo a cultura de dono
 
Facespam, chatwitter e a relevência na internet
 
Ingredientes para o Sucesso
 
Especial é seu Bolso, não o Cheque!
 
Exemplos e Opiniões
 
Jogando Xadrez
 
Estabilidade ou Promiscuidade na Carreira?
 
Ensaio sobre a Lágrima
 
Educação Sem Futuro
 
Diferenciação
 
Compre Soluções e não Problemas
 
Como se fosse a primeira vez
 
Cultura do Curto Prazo
 
Crise de Identidade
 
Desemprego Zero
 
Da Garagem ao Sucesso
 
Compradores Seriais
 
Diários de Guerra
 
Diálogos Externos e Internos
 
Além dos Números
 
A Praga dos Juros
 
Apesar de Vocês
 
Bandeiras da Intolerância
 
Analfabetismo Funcional
 
Iniciativa, hesitação e acabativa
 
Atitude
 
Metas, Realizações e Resultados
 
Guerras e Guerras
 
Ponto de vista
 
Mudança e tolerância
 
Faltam heróis
 
Cuide de sua vida
 
Coragem para mudar
 
Ser e Estar
 
Celebre sua Vida
 
Tempo Perdido
 
Anatomia do Amor
 
O Caminho do Meio
 
Fracasso e Sucesso
 
Sonhos e Metas
 
A Visão do Futuro
 
Crise de Liderança
 
Brasil Doente
 
Finanças Pessoais em Equilíbrio
 
Uma nova vida em dois anos
 
Um sentido para a vida
 
Você não é pago para isso!
 
Cinco passos para uma meta
 
O Sabor do Saber
 
Geração sem-sem
 
O filho e o pai
 
A Volta da Inflação
 
Faltam liderança e pauta aos manifestantes
 
Cliente, este intruso
 
A chave da boa educação
 
A era da integração
 
Au revoir Carnaval!
 
A vida sem celular
 
A hora do sprint
 
Serviço civil obrigatório
 
O fim do pão e circo
 
As três faces do respeito em vendas
 
Agenda de 10 Segundos
 
Lei muda
 
Copa e Olimpíada - Lições de planejamento e Ética
 
A Hora de Parar
 
Latitudes do Silêncio
 
Efeito Placebo
 
Dilemas Eleitorais
 
A face oculta dos planos de saúde
 
A dor da despedida
 
Basta de Informação!
 
República Parlamentarista do Brasil
 
Poeira no vento
 
O sexto homem
 
Liderança Questionada
 
A arte da chutometria
 
Água na Cabeça
 
Marketing de Percepção
 
37 não é febre
 
Leite e Pinga
 
A Ética e a compra de seguidores nas redes sociais
 
Começando pelo quintal
 
A ética do resultado
 
Chega de angústia
 
   
     
  Busca por especialidade  
 
 
     
 
       
  Busca por autor  
 
Para listar todos os autores, clique em "buscar" sem preencher nada.
 
   
       
 
 
Dúvidas
Caso tenha alguma dúvida ou gostaria de obter maiores informações, basta utilizar um dos canais disponíveis abaixo:

 
 
 
 
     
   
     
       
 
José Antonio Purcino
Jornalismo / Comunicação
 
André Luiz de Freitas
Gestão de Pessoas - RH
 
Tom Coelho
Gestão de Pessoas - RH
 
Casemiro de Oliveira Rosa
Estratégia
 
Bernardo Leite Moreira
Comportamento
 
Dino Mocsányi
Mudanças & Transições
 
Marcelo Miyashita
Marketing / Publicidade
 
Gilberto Guimarães
Liderança Positiva
 
Jusivaldo Almeida dos Santos
Finanças Pessoais
 
Marcos Wunderlich
Coaching / Mentoring
 
Richard Doern
Empresas Familiares
 
Daniel De Stefano Menin
Marketing / Publicidade
Mentores do Portal

O conteúdo e retaguarda técnica
são validados pelo melhores
especialistas do mercado
em cada área.
     
Entre em contato conosco:
developed by MDF Tecnologia
 
  ©1996/2017 - Mocsányi Assessoria Ltda. | Todos os direitos reservados.

Endereço

Rua Tiradentes, 167 -
Parque Vila Rica - Santana de Parnaíba / São Paulo
06503-187
Tel.: / (11) 94755-9832

Horario de Atendimento
De segunda a sexta, das 08h00 às 18h00.