Boa noite, seja bem vindo(a) Visitante | faça o seu Login ou Cadastre-se Grátis
O Portal Consultores é focado no apoio técnico e metodológico, treinamento, interatividade, informações, ferramentas e serviços para profissionais independentes, consultores, coaches e palestrantes, constituindo desde 1990, a maior comunidade mundial destes profissionais em países de idioma português, com 65.119 participantes neste momento.
Especialidade para pesquisa
no Portal
Faça parte da comunidade
Consultores
     
 
Artigo
 
Compradores Seriais
22/11/2016 - por Tom Coelho

“Viva com lobos, e aprenderá a uivar.”  (César Bórgia)

A psicologia registra a existência de algumas personalidades enquadradas como sendo do tipo maníaco-depressivas destacando-se os chamados serial killers, ou seja, os matadores seriais. O mundo corporativo, por sua vez, legou-nos uma versão singular: o comprador serial. Ele apresenta uma personalidade sui generis.

Em geral, são pessoas introvertidas que falam pouco e, quando abrem a boca, o fazem de forma muito objetiva. Também não escutam muito porque não têm paciência ou tempo para ouvir. Na verdade, procuram ouvir apenas aquilo que lhes convém, que lhes agrada, que atende aos seus interesses. São pessoas mal humoradas que dificilmente esboçam um sorriso porque um semblante feliz tem a peculiaridade de desarmar a mais sólida das barreiras, o mais edificado dos muros.

E procuram não demonstrar simpatia, ainda que adotando a verve de “parceiro”. São também presunçosos e acreditam sempre estar a serviço da verdade. E de fato estão: da verdade deles. São prepotentes. Como deles deve partir a decisão de uma operação de compra e venda, assumem uma postura quase ditatorial, megalômana. Vestem-se normalmente de forma simples, despojada. Raramente você os encontrará trajando um terno ou com um tailler bem cortado.

Embora tenham toda esta postura trabalha em ambientes pouco agradáveis, em salas apertadas, com mesas pequenas e cadeiras nem sempre confortáveis. E habitam, quase que via de regra, grandes corporações, porque não há como se portar de forma tão inflexível e intransigente à frente de uma pequena ou mesmo média empresa, pois nestas ainda é possível considerar-se o aspecto humano e não apenas o comercial de uma negociação.

Aliás, negociação é palavra que até transita pelo vocabulário dos compradores seriais, mas apresenta outra conotação. Não acreditam naquela fábula do “ganha-ganha” porque são treinados a encarar o vendedor como inimigo nº 1. E não têm limites em suas requisições.

O limite é aquele que o permita escorchar ao máximo seu fornecedor. Nas grandes companhias, face ao peso do nome da empresa em que atuam e do volume de compras que potencializam, sentem-se onipotentes, referendados para expor suas condições comerciais. É comum encontrá-los no segmento supermercadista ou ainda no setor de autopeças. Talvez eles saibam, talvez não, mas agem como verdadeiros assassinos de empresas.

Fazem compras na medida daquilo que acreditam ser o necessário e alteram as regras do jogo o seu bel prazer. Impõem aos fornecedores à concessão de descontos, os mais diversos, travestidos sob a forma de bonificações, cortesias, brindes, patrocínios, amostras, inserção em tablóides ou demais campanhas publicitárias, diferença de ICMS, crédito de ICMS ou IPI, indenização de encalhe, promoções, lançamentos, cadastramento de item, enxoval, reinauguração, datas comemorativas.

Impõem prazos de entrega estreitos, sempre que possível, forçando jocosamente o fornecedor a arcar com ônus não previstos com fretes e serviços adicionais processados extraordinariamente. Impõem prazos de pagamento paulatinamente mais elásticos. E irreais. O que figura de uma forma no papel e é exercido de outro, na prática.

Faturamento para 30 dias não existe; 60 dias viram 90, 90 viram 150, e este último pode se converter em devolução devido a um eventual encalhe. Impõem preços lastreados em sua força de barganhar por conta dos volumes de compra e utilizam-se da chantagem para fazer valer seus interesses.

Cadastram em seus computadores preços mais baixos para sensibilizar o vendedor a conceder mais descontos. E procuram desestabilizar os vendedores com exigências impossíveis, ameaçando a todo instante romper a negociação, retirar o produto de linha, diminuir a exposição do produto para o consumidor final e até mesmo excluir a empresa do quadro de fornecedores.

Os compradores seriais não entendem – ou são orientados para não compreenderem – como funciona, de fato, uma cadeia produtiva. Preferem esgarçar seus fornecedores com a certeza plena de que sua morte suscitará o nascimento de outra empresa. Outra talvez melhor, não técnica ou qualitativamente, mas melhor porque despreparada e desconhecedora das regras do jogo.

 
Para acessar o CV do autor, clicar em seu nome no início deste artigo.
Para contatá-lo, clique aqui.
 
Artigos publicados deste autor(a)
 
Aplicando 5S na vida pessoal
 
Voo 3840
 
Marketing pessoal - construindo a sua marca
 
Gênese da corrupção
 
Aplicando 5S nos escritórios de advocacia
 
Síndrome de Deus
 
Sete vidas - a arte de conciliar vida pessoal e profissional
 
O país da corrupção
 
Gestão com empatia
 
Excelência no atendimento
 
A arte de empreender
 
Stop and go
 
Quinze anos
 
Paternalismo Corporativo
 
Passos de Bebê
 
Regras de ouro para administrar o tempo e viver melhor
 
Tempo de escolher
 
Sobre heróis e mitos
 
A força da vocação
 
Resiliência
 
Para ler após o Reveillon... Aplicando 5S na Vida Pessoal
 
O Poder da Exaltação
 
O Pior dos Pecados
 
O peso do QI na recolocação profissional
 
O que os compradores querem
 
O mundo dos contratos
 
Na ponta dos dedos
 
O Coração da Empresa
 
Miopia e astigmatismo corporativos
 
Na Arena
 
O Desejado Pergaminho
 
O mal da mediocridade
 
O Engraxate
 
O clichê, o básico e o simples
 
O Brasil público que dá certo
 
Recordar é viver
 
Conheça sua base motivacional
 
Empreender é preciso
 
Maratona da Vida
 
Metamorfose Ambulante
 
Liderança e Poder
 
Estabilidade ou Promiscuidade na Carreira?
 
Ingredientes para o Sucesso
 
Fisiologia do Medo
 
Intraempreendedorismo: Desenvolvendo a cultura de dono
 
Gente do Bem
 
Facespam, chatwitter e a relevência na internet
 
Ensinando a Ousar
 
Jogando Xadrez
 
Exemplos e Opiniões
 
Especial é seu Bolso, não o Cheque!
 
Educação Sem Futuro
 
Ensaio sobre a Lágrima
 
Crise de Identidade
 
Cultura do Curto Prazo
 
Diários de Guerra
 
Diálogos Externos e Internos
 
Da Garagem ao Sucesso
 
Diferenciação
 
Desemprego Zero
 
Como se fosse a primeira vez
 
Compre Soluções e não Problemas
 
Analfabetismo Funcional
 
Bandeiras da Intolerância
 
Apesar de Vocês
 
Além dos Números
 
A Praga dos Juros
 
Iniciativa, hesitação e acabativa
 
Atitude
 
Metas, Realizações e Resultados
 
Guerras e Guerras
 
Ponto de vista
 
Mudança e tolerância
 
Faltam heróis
 
Cuide de sua vida
 
Coragem para mudar
 
Ser e Estar
 
Celebre sua Vida
 
Tempo Perdido
 
Anatomia do Amor
 
O Caminho do Meio
 
Fracasso e Sucesso
 
Sonhos e Metas
 
A Visão do Futuro
 
Crise de Liderança
 
Brasil Doente
 
Finanças Pessoais em Equilíbrio
 
Uma nova vida em dois anos
 
Um sentido para a vida
 
Você não é pago para isso!
 
Cinco passos para uma meta
 
O Sabor do Saber
 
Geração sem-sem
 
O filho e o pai
 
A Volta da Inflação
 
Faltam liderança e pauta aos manifestantes
 
Cliente, este intruso
 
A chave da boa educação
 
A era da integração
 
Au revoir Carnaval!
 
A vida sem celular
 
A hora do sprint
 
Serviço civil obrigatório
 
O fim do pão e circo
 
As três faces do respeito em vendas
 
Agenda de 10 Segundos
 
Lei muda
 
Copa e Olimpíada - Lições de planejamento e Ética
 
A Hora de Parar
 
Latitudes do Silêncio
 
Efeito Placebo
 
Dilemas Eleitorais
 
A face oculta dos planos de saúde
 
A dor da despedida
 
Basta de Informação!
 
República Parlamentarista do Brasil
 
Poeira no vento
 
O sexto homem
 
Liderança Questionada
 
A arte da chutometria
 
Água na Cabeça
 
Marketing de Percepção
 
37 não é febre
 
Leite e Pinga
 
A Ética e a compra de seguidores nas redes sociais
 
Chega de angústia
 
A ética do resultado
 
Começando pelo quintal
 
   
     
  Busca por especialidade  
 
 
     
 
       
  Busca por autor  
 
Para listar todos os autores, clique em "buscar" sem preencher nada.
 
   
       
 
 
Dúvidas
Caso tenha alguma dúvida ou gostaria de obter maiores informações, basta utilizar um dos canais disponíveis abaixo:

 
 
 
 
     
   
     
       
 
Casemiro de Oliveira Rosa
Estratégia
 
José Antonio Purcino
Jornalismo / Comunicação
 
Dino Mocsányi
Mudanças & Transições
 
Marcos Wunderlich
Coaching / Mentoring
 
Daniel De Stefano Menin
Marketing / Publicidade
 
Marcelo Miyashita
Marketing / Publicidade
 
Tom Coelho
Gestão de Pessoas - RH
 
Jusivaldo Almeida dos Santos
Finanças Pessoais
 
Bernardo Leite Moreira
Comportamento
 
Gilberto Guimarães
Liderança Positiva
 
André Luiz de Freitas
Gestão de Pessoas - RH
 
Richard Doern
Empresas Familiares
Mentores do Portal

O conteúdo e retaguarda técnica
são validados pelo melhores
especialistas do mercado
em cada área.
     
Entre em contato conosco:
developed by MDF Tecnologia
 
  ©1996/2017 - Mocsányi Assessoria Ltda. | Todos os direitos reservados.

Endereço

Rua Tiradentes, 167 -
Parque Vila Rica - Santana de Parnaíba / São Paulo
06503-187
Tel.: / (11) 94755-9832

Horario de Atendimento
De segunda a sexta, das 08h00 às 18h00.